6 de junho de 2011

A Vizinha

Eu fico impressionado com a capacidade que algumas pessoas tem em dar palpite na vida alheia. Acompanhem:

A cena se passa no hall de entrada do nosso prédio. Lara esperava o elevador quando chega a vizinha do andar de cima.
Lara: Boa noite!
Vizinha: Boa... seu marido viaja muito né?
Lara: É...
Vizinha: E é sempre pra longe né?
Lara: É...
Vizinha: Pra fora do país né?
Lara: É...
Vizinha: Mas desse jeito vocês não podem mesmo ter filhos né.
Lara: ...

4 comentários:

B. disse...

Isso é muito Minas Gerais! Hahahaaha!

P. disse...

Nunca gostei de vizinhos. Nunca fiz amizades com vizinhos. Em lugar nenhum em que morei. Minha sociabilidade com vizinhos se limitam à garagem e ao elevador. Naquele primeiro prédio, em que o apartamento era no térreo, a filha mal-educada da vizinha pendurava na grade pra olhar dentro da minha casa. Vizinhos fazem trocam o piso em um domingo às sete e meia da manhã. Fumam na janela de seus apartamentos impestiando de fumaça os apartamentos de cima. Ouvem Fernando e Sorocaba no último volume até às dez e meia da noite de uma mera terça-feira. Aquele que disse que vizinho é o parente mais próximo que temos não devia ter família. Vizinho é escória. Não gosto de vizinhos. Nunca gostei. Não tenho um amigo que tenha se tornado meu amigo porque era meu vizinho. Vizinho rouba a revisa que você assina. Vizinho rouba o dinheiro do condomínio e não paga a conta de água do prédio. Vizinho bate na mulher e cria ratazana no quintal, deixando a caixa de gordura sem tampa. Vizinho viola sua correspondência só pra saber quanto você paga de conta de luz. Isso quando não fedem e seus fedores exalam além de suas casas. Vizinho fecha sua vaga de garagem. Vizinhos inventam defeitos que não existem no portão eletrônico, que depois ficam piores que estavam. Vizinhos imitam o Ralf Wiggum, correndo em círculos em cima da sua cabeça e não cortam as unhas do maldito yorkshire.

Ah, vizinhos...

R. disse...

E olha que eu nem contei que na semana seguinte ao diálogo, eu encontrei com essa tal vizinha na garagem do prédio. Ela me falou (gritando, pq ela nunca fala baixo): Ê! Resolveu dar uma passadinha no país é?
Minha resposta real: É...
Minha resposta imaginária: É, resolvi visitar uns pobres do terceiro mundo como vc!

rtakai disse...

Quanto ódio no coração... Isso porque vocês não moraram em alojamento com 500 vizinhos de nacionalidades diferentes. Nada como chegar na cozinha e ter alguém lavando o pé na pia...