30 de junho de 2009

I have a dream...

O DIA: 18/07/2009 - Sábado

O LOCAL: Citi Field

A CIDADE: NYC

O EVENTO!

O INGRESSO:



O SET LIST!

PALAVRINHA FINAL: OBRIGAAAAAAAAAAAADO, PAAAAAAAAAAAAAAI!!!!!!!

AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHH!

NAAAA NA NANANANAAAAAAAAAAA! NANANANAAAAAAAAA! HEY JUDE!

Diário de Bordo Ilustrado - Edição Extraordinária

video

Diário de Bordo Ilustrado




Diário de Bordo - Parte 1

Começarei pelo começo. Saída de São Paulo com destino a Amsterdã. Sala de embarque cheia de brasileiros. Muita gente jovem reunida. Muitos dos jovens com camisas do Brasil, que é para mostrar o quanto eles amam a nação. Achei bem jovem! Mas pelas conversas que eu pescava, esse povo estava indo pra Amsterdã com o principal objetivo de fumar maconha. Ok! Sou preconceituoso e creio que todos que vão a Amsterdã e tem cara de estudante do CFCH, o equivalente à FAFICH, vão mesmo é fumar um baseado e pegar umas putas no bairro da luz vermelha em paz. prontofalei!
Avião lotado, comissárias mal humoradas e brasileiros animados dando em cima das comissárias mal humoradas. Serviço de bordo era nota 10. O menu de filmes era ótimo. Dava pra dar umas duas voltas ao mundo que não se repete o filme. Nesse trecho eu assisti "Queime depois de ler" e "A Pantera Cor de Rosa, parte 2". Também escutei o CD novo de Carla Bruni e do U2 e assisti um episódio de Friends.
Depois de 12 horas de viagem, cheguei a Amsterdã. Uma loucura! Aeroporto gigante e você é jogado de dentro do avião para o meio do saguão sem muito aviso. Devo confessar que assustei nesse momento. Era muita gente e eu não sabia para onde ir. Até que achei um guarda da alfândega que me ajudou. Consegui sair zona de embarque, mas mesmo assim continuava perdido e levei umas duas até criar coragem e pegar o trem para o centro de Amsterdã e andar um pouco por lá. Sem preconceito, mas parece que todo mundo no centro de Amsterdã estava fumando maconha. Ô povo com cara de maconheiro! Michael Jackson bombava em três lojas que entrei. E ainda vi um daqueles performers de rua vestido de Michael, mas sem fazer o moonwalk.
Bom, pelo pouco que eu vi, pareceu uma cidade legal. Veremos em breve com mais tempo.
Duas horas depois do passeio, voltei para o aeroporto para embarcar para Jakarta. Mais 15 horas de voo ainda me esparavam.

29 de junho de 2009

Cheguei!

Alô, pessoal! Cheguei! E a bandeirinha da Indonésia já está aí em baixo e não me deixa mentir.
Preciso de tempo para postar sobre a viagem. Farei por partes.
Mas antes, vos deixo com três fatos inusitados:

CENA 1
Voo KLM de Amsterdã para Kuala Lumpur.
Comissário de bordo: sjkpklm kppkcoçp?
EU: What???
Comissário de bordo: hjalwnon so onbhçl?
EU: What?
Comissário de bordo: Ahhhh... pensei que você fosse holandês.

CENA 2
Alfândega - Aeroporto de Jakarta
Funcionário Alfândega: Você é iraniano?
EU: Não!
Funcionário Alfândega: Você parece muito com as pessoas do Irã.
EU: Sou do Brazzzilll.
Funcionário Alfândega: AHHHH!!! RRRONALLLDO!!!

CENA 3
Guichê de Táxi - Aeroporto de Jakarta
Funcionária: Você é árabe?
EU: Não! Brasileiro!
Funcionária: Oh! I'm sorrry!

27 de junho de 2009

Campanha

Todo mundo que é fã do Michael começa a fazer MOONWALK. Vamos girar a terra ao contrário, voltar no tempo e salvá-lo!

Num resisti?

Flight of the Conchords

Flight of the Conchords, conhecem? Tudo o que uma pessoa como eu gosta na vida: nerdice, gracismo loser e música. Recomendo a vocês, meus semelhantes.



These aren't tears of sadness because you're leaving me
I've just been cutting onions
I'm making a lasagna...
... for one.

26 de junho de 2009

TOC

Mas essa escultura está muito bagunçada.

Que tal começar a arrumar tudo?

Pronto! Agora sim, está tudo arrumado.

25 de junho de 2009

IN LOVING MEMORY

2012

Eu empenhadíssima em atividades físicas, mamãe fazendo gostosuras todos os dias para o almoço, passe-livre para estudantes no DF, Michael Jackson morto... é o fim do mundo como conhecemos. E se esse for mesmo o começo do fim, saibam que estou pronta, fugirei para o litoral e sairei correndo em direção às bolas de fogo gritando "aqui! aquuuuuuuuui!

Queria incorporar aquele vídeo como singela homenagem ao morto, mas desabilitaram a opção. Cliquem, pois, e bailemos.

Choro. Litros.
Que é da gente sem você, Máicon? Eles não ligam pra gente!!!

tundun durudun durunnnn!
(bira jackson no chao)

EMO do Coco

Falar em "A derrocada do EMO transviado"...


video


Paraíso

Agora é fato... ninguém aqui vai pro céu.

Querido Diogo Mainardi,

Não sei quando foi exatamente que minha preguiça de você se transformou em amor. Não sei, só sei que foi assim. Volte logo, eu peço, ninguém me diverte como você.

Oiçam e concordem.

Diário de Bordo

E meu São João foi assim...


Gente jovem e bonita reunida em clima de paquera.

Um pôki de quadrilha.

Coco Raízes de Arcoverde.
Animação mácxima não muito boa para os joelhos.

video

E como não poderia deixar de ser... Cordel.

21 de junho de 2009

BSB

Estivemos esse final de semana em Brasília, nossa Capital Federal. Cidade estranha, mas bastante agradável e legal. Esperamos voltar para ver mais coisas.

Gostaríamos de agradecer aos nossos guias em Brasília:

Anna Letícia e João. Bastante prestativos e grandes conhecedores da cultura candanga.

Contamos também com uma aparição mais do que especial, B., que cancelou seus compromissos em Manaus e ficou conosco todo o sábado até quase 1 da manhã.

Valeu, amigos!

19 de junho de 2009

Desculpa aê, Galvão!

B. diz:
ranniere
no meu tempo a bola nao podia queimar no saque nao
agora o finlandes sacou e a bola se esborrachou toda na rede, passou e caiu no chao e foi ponto pra eles.
quando isso mudou?
Carlos Ranniere diz:
puta merda, fabiana!!! tem anos que isso mudou. não são poucos anos, são muitos, tipo, uns 8 anos, talvez!
B. diz:
tá tudo diferente
não tem mais vantagem
Carlos Ranniere diz:
ai caralho
a vantagem tem muito mais tempo ainda


Consultando os arquivos do vôlei, confirmei que em 1999 passou a valer a regra do toque da bola na rede quando no saque, e em 1998 deixou de existir a vantagem.
E eu sempre esculachei Galvão Bueno por ele, em suas transmissões, ficar explicando todas as "novas" regras do vôlei de uma forma bastante didática, quase um mobral. Desculpa, Galvão! Agora vejo que existem pessoas que precisam de você e seu didatismo. Desculpa, cara!

19 de junho

Hoje é o dia dela.
Minha melhor amiga. Minha grande companheira.
Minha alma gêmea. Minha luz quando está escuro.
Minha força quando me sinto cansado.
Minha alegria quando estou triste.
Minha. Só minha!

Parabéns, Lara!

Ah, e pode?

Agora descubro um novo mundo com o antunes.
E eu que achava que ele só servia para jogar as músicas do computador para o iPod.
Fantástico.

18 de junho de 2009

E um Feliz São João

Amicos, estou viajando hoje para passar um longo feriado em Arcoverde. Diversão Mácxima de São João na terra do Cordel do Fogo Encantado, onde eles sempre fazem show no dia mais importante e reza a lenda que sempre chove em "chover", mas pelo que vi ano passado é só lenda mesmo. Dizem.

Deixo aqui meu efusivo abraço para todos. Saudades. Te amo lá fora.


Beijos,

Momento Google

Curiosas são as combinações que trazem visitas até aqui. Uma das masi constantes para nós envolve poesia. Já apareceram "poema pé frio" (esse é pra Ranniere), "poema vingança verde", "poemas de croqui" (Q).

O mais curioso pra mim foi "poema sobre travesti". Não pela keyword em si, mas pelo resultado da pesquisa. Fez o visitante pousar num post que começava com "em casa de ferreiro, espeto é de pau..." e se chama "Every sperm is sacred".

Então fiquei juntando as peças e imaginando um poema sobre travesti que envolvesse "espeto", "pau", "ferreiro", "sperm", "sacred"...

Não seria de todo mal, hein...

Isso me fez lembrar um professor de literatura portuguesa que tive. Ele adorava uns poetas lusos pós-modernos que falavam de cuecas sujas de merda (acho que era Al Berto...). Aliás, esse professor era qualquer nota (adoro gírias idosas). Foi ele que uma vez surtou com uma aluna que apresentava um seminário sobre "A Capital" do Eça de Queirós. Gritava histericamente PARA, PARA! SUA VOZ É INSUPORTAVEL! ESSE LIVRO É INSURPOTÁVEL! PARA! E nós com cara de peidaram-no-recinto.

Ele era daqueles que via objeto fálico em tudo. Se tinha flauta no poema, ela virava uma piroca em dois tempos. Em outra turma, uma aluna resolveu dizer que o ritmo de um poema lembrava a cadência das ancas de uma mulher andando, ele pediu que ela reproduzisse na frente da sala o movimento.

Sabe o que aconteceu com ele? Virou coordenador do colegiado! hahahahhahahahahha... coisas de universidade federal.

Enfim, querido leitor que procura por poema sobre travestis, clique aqui para a melhor poesia sobre bonecas que já se escreveu em língua portuguesa!

Espero que goste!

Bônus Track: Ao vivo, n'A Obra!

Podcast

Menines,
Coloquei uma capinha no podcast, mas a imagem não sai no antunes, acho que só aparece lá quando o podcast vem da itunes store. Ou talvez não. Enfim, problemas técnicos, não sabemos operar, mas, já que a imagem tá pronta e apreciamos figurinhas, posto aqui a imagem, copiem e colem lá na marra.

Beijas!



Do http://www.colourlovers.com/

Jornalistas

Um excelente chefe de cozinha certamente poderá ser formado numa faculdade de culinária, o que não legitima o Estado a exigir que toda e qualquer refeição seja feita por profissional registrado mediante diploma de curso superior nessa área. (aqui)

Acho que é bem por aí.

Desculpem os profissionais da área que, ofendidos, vão correr para se defender, mas jornalismo é dessas profissões em que mais impera a mediocridade (e eu não acho isso sozinha). Redações enxutas, os caras precisam cobrir vários assuntos, desconhecem quase todos, se lambuzam, confiantes, nas técnicas, e só fazem cagada. O tempo quase todo.

Esquemas de entrevistas? Um looping eterno de dejavus, extremamente irritante. Morro sempre com a impressão de que um sujeito interessado e interessante faria um trabalho melhor, vocês não? Então botemos ele na jogada, uai, pq não? É bom pra todos, certeza.

É claro que, no susto, a tendência dos caras é correrem todos para se defender, e se fecharem no grupinho, mas eu bem acho uma bobagem sem tamanho. Além do mais, estamos falando do universo da informação, não dá pra ser rígido, ao contrário até, quanto mais solto, melhor.

E lembram que antigamente já era assim? Não precisava de diploma pra ser jornalista. Pois. Vinix, pré-comunicador social, pode fazer uma pesquisa e voltar com nomes de gente extremamente relevante e que não passou pelas faculdades.

De qualquer forma, um jeito bom de regular as profissões, que existe há muito pelo mundo, é fazer uma prova. Mais ou menos como acontece com os cursos de Direito. Para ser advogado no Brasil, é preciso passar na prova da OAB, certo? (e aí você se lembra do finado \hades\ dizendo "nao sou advogado!" calma, passou) Um dos maiores arquitetos do mundo, Tadao Ando, é um japonês que era boxeador, se aposentou, foi estudar artes sozinho, e um belo dia fez a prova para arquitetos e passou. Pronto. É arquiteto. É foda. E é autodidata (prezo muito pelos autodidatas). Não precisou da universidade.

Tem isso ainda, sou cabreira pra caramba quanto a necessidade dessas instituições.
Enfim, assunto para outro post.

Participação Especial

Quero dizer que eu também sempre estranhei esse negócio de "participação especial" em novelas, e que, para confortar meu espírito inquieto, criei, há muitos anos, minha teoria sobre o assunto e ela tem me servido bem. Acho que o sujeito entra "Fulano de Tal, como Cicrano", quando já é um monstro sagraaaado da televisão brasileira, tem o nome consolidado e goza de certa fama e glamour. E que o rótulo "participação especial" indica que o papel em questão foi pensado especialmente pro ator.

Ou não.
Ou talvez seja o contrário.

Poderíamos pesquisar, mas especular é mais divertido.

Divertido também seria entrar na comunidade da Daniela Perez no orkut e perguntar diretamente pra Glorinha que diabéiss. Desculpa, Glorinha, é um assunto menor, mas me corrói. P.s.: verdade que você namora a Leda Nagli?

Podcast Vogon S01e05

Participação de Betinho.


Subscribe Free  Add to my Page

17 de junho de 2009

Sono

Não dou conto de brincar hoje, amicos.

Sejam felizes sem minha participação de claque.

:***

Finte Réaish

16 de junho de 2009

A star is born

No meu tempo, quando as pessoas dormiam, eram lambuzadas com pasta de dente.

Os tempos estão mesmo mudados!

16 de Junho

"Eis que se anuncia de modo sumamente grave
A vinda da mulher amada, de cuja fragrância já me chega o rastro.
É ela uma menina, parece de plumas
E seu canto inaudível acompanha desde muito a migração dos ventos
Empós meu canto. É ela uma menina.
Como um jovem pássaro, uma súbita e lenta dançarina
Que para mim caminha em pontas, os braços suplicantes
Do meu amor em solidão. Sim, eis que os arautos
Da descrença começam a encapuçar-se em negros mantos
Para cantar seus réquiens e os falsos profetas
A ganhar rapidamente os logradouros para gritar suas mentiras.
Mas nada a detém; ela avança, rigorosa
Em rodopios nítidos
Criando vácuos onde morrem as aves.
Seu corpo, pouco a pouco
Abre-se em pétalas... Ei-la que vem vindo
Como uma escura rosa voltejante
Surgida de um jardim imenso em trevas.
Ela vem vindo... Desnudai-me, aversos!
Lavai-me, chuvas! Enxugai-me, ventos!
Alvoroçai-me, auroras nascituras!
Eis que chega de longe, como a estrela
De longe, como o tempo
A minha amada última!"

"Sobre o leito do amor teu seio brilha
Eu morro, se desfaço-te a mantilha
Tu és — Júlia!"

REFLITÃO OK

14 de junho de 2009

Brasil 2014

Diz que tem uma resolução que exige que, a partir do ano que vem, os lugares dos estádios do campeonato brasileiro sejam marcados. Jemt, eu fico tão espantado como que algum engravatado tem coragem de editar uma medida dessa.

Hoje eu fui ao estádio. 40.000 pagantes. Cheguei cedo, uma hora e meia antes, e fiquei esperando os companheiros chegarem em frente à entrada principal. Tinha ingresso de dois até cinquenta reais. Isso atrai um público bastante diverso. Entramos ainda faltava uma hora pro começo do jogo. Dois setores já estavam esgotados e ambos estavam vazios. Assim ficaram até uns 15 minutos antes da bola rolar. Então nego vai chegando e as cadeiras dos cantos vão ficando vazias, enquanto as entradas e as escadas vão ficando lotadas de gente em pé.

E estádio vocês sabem como é. Não há muita classe, né. A gente xinga tudo. Todos. Imagina a cena: você e mais três amigos compram ingressos com lugares marcados e deixam pra entrar faltando 10 minutos pro começo da partida. Então encontram seus lugares ocupados por outras pessoas. E aí não interessa se é grande ou pequeno, homem ou mulher, amarelo ou verde, é torcedor, que por natureza é um ser primevo*.

- Com licença, minha senhora, mas esse lugar é meu. Vocês poderi...
- Vai tomá no seu cu, filhodaputa!

Aí vem as sugestões. Funcionários em cada fileira orientariam os torcedores a ocuparem os lugares que constassem de seus ingressos. Deveriam ser muito bem treinados. Pela SWAT, eu sugiro. Imagina hoje quando pelo menos 20.000 entraram quase na hora do jogo. Impossível.

Imaginem, agora, a venda dos ingressos. Recentemente, compramos ingressos pro Cirque de Soleil. Lugares marcados, of course. E dezena de setores. Então você chega à bilheteria, a mocinha muito solicita te mostra o mapa de lugares e pacientemente consulta aqueles que você vai pedindo. Até que, depois de uns 20 minutos, você escolhe seu lugar para o espetáculo que será daí a seis meses.

Quem já viu uma venda antecipada de ingresso pra um clássico, já está imaginando o que vou dizer. Eu já presencieei, certa vez, os torcedores terem que sair da bilheteria por cima do povo. Sim, por cima, tipo depois de um "stage diving" num show de rock. Com certeza, ele não estava vendo o mapa de lugares pra escolher onde se sentar.

E isso eu estou falando do Mineirão, um estádio razoavelmente bem organizado. Nem vou falar dos campos de várzea que existem por aí sendo usado na primeira divisão.

Não dá pra virar Europa de um dia pro outro. João me contou hoje uma história fantástica sobre isso. No estádio do Chelsea, em Londres, os lugares são marcados e os torcedores compram ingresso para a temporada inteira. Ou seja, naquele ano, aquela cadeira ali é minha. E um torcedor percebia que as cadeiras do seu lado ficaram vazias durante os quatro primeiros meses do campeonato. Quando foi em janeiro, um pai e um filho ocuparam aqueles lugares. O cara foi lá assuntar.

- Minha mulher nos deu de presente de natal os ingressos para a temporada!

Mais difícil que isso é só o metrô chegar na Pampulha.

Boa semana pra vocês.

13 de junho de 2009

Diálogo II

- Vocês viram a declaração do Lula no enconto com o Chaves?
- E o Kiko?
RIZDOS
- Sério... ele disse que se Dilma for eleita, ele quer ser o presidente do Petrobras. Rapaz, anota aí, se ele virar presidente da Petrobras. eu peço demissão de lá... Eu estudei tanto para trabalhar lá... não é justo o Lula ser presidente da Petrobrás... Da república, vá lá...
- !!
RIZDOS MACXIMOS

12 de junho de 2009

Deu pra ti, Baixo astral. Vou pra Porto Alegre, tchau!

Alô, Guega, faz contato. Estarei por aí até a terça-feira.

11 de junho de 2009

Por que não vou a igrejas e a academias?

Deixem-me contar o que está se passando na Câmara de Vereadores de Belo Horizonte. Há um projeto de lei que pretende criar o Dia Municipal da Parada do Orgulho LGBT na capital mineira.

No trâmite da matéria, ela passa pela comissão de legislação e justiça. Lá o projeto recebeu um parecer contrário, sob a alegação de que o não havia previsão de onde sairia os recursos que financiariam o evento, o que infringe a Lei de Responsabilidade Fiscal.

Seria apenas uma discussão burocrática, se o relator que emitiu o parecer desfavorável ao projeto não fosse o líder da bancada evangélica no legislativo municipal. Dos cinco integrantes da comissão, apenas dois votaram (e contra): ambos pastores.

Nessa terça, rolou um quebra-pau no plenário, porque ia se votar um recurso que derrubaria o relatorio. Pouco antes, o plenário aprovou a isenção de ISS para que a FIFA organizasse a Copa de 2014 por aqui. Resultado: esvaziou-se a votação e nada foi resolvido.

Eu não levanto bandeira pra nada. Acho chato qualquer ativismo social. Entretanto, diante de coisas assim, a gente fica indignado. Tá certo que todos ainda temos muito o que aprender sobre a diversidade sexual, que a homofobia é algo socialmente aceito, como o preconceito racial já foi. E nem é isso que me irrita mais nessa história: mas é a prepotência desse povo que se diz cristãos.

Essa arrogância da maioria dos evangélicos me deixa possesso. Eu já frequentei esse tipo de lugar e posso dizer: eles se acham de fato especiais. Mais que os indies moderninhos. Se acham escolhidos, que são tipo uns aliebígenas avanádos que moram num planeta onde os habitantes são cegos, estúpidos, sujos.

E em nome de Deus, Cristo, Jeová, whatever, cometem verdadeiros sacrilégios em relação à própria doutrina. Não tenho paciência pra religião, embora reconheça sua importância na minha formação; mas ao contrário dos religiosos, creio que as pessoas podem ser valorosas sem precisar serem batizadas ou algo do gênero.

Pelo pouco que sei, a passagem de Cristo pela Terra foi marcada justamente por um comportamento pouco ortodoxo. Tipo andar com prostitutas. E se Madalena não era prostituta e foi pintada assim para pensarmos quão livre de prsconceitos o filho do Homem era, o tiro hoje sai pela culatra. Afinal, a lição que fica é a de que as pessoas precisam ter uma chance, independente do que seja. Tô errado?

Discriminação não é algo que prega o cristianismo. E esse povo tá sempre discriminando, julgando aqueles que não andam com a bíblia debaixo do braço. A questão agora é com os homossexuais, mas não se restringe a eles. O tratamento que eles dão por exemplo a outras religiões é algo espantoso. Com os católicos, travam uma disputa quase futebolística. Com as religiões africanas... MISERICÓRDIA, diriam.

Muito bem, senhores. Muito bonito isso!

Desculpem, mas eu preciso desabafar sobre isso. Não suporto tirania. E quando isso sai das paredes da igreja e passa para esfera socio-política, fico deveras preocupado, porque eu não quero viver num lugar onde as leis sejam feitas por pessoas desse tipo.

Tá... eu sei que vou ter que mudar de planeta...

Beijas! E a paz do senhor, irmãos.

9 de junho de 2009

Desculpa a vergonha que eu passei

Ultimamente eu tenho parecido uma véia... super cheia de resistência a aprender coisas novas, principalmente as tecnológicas. Preguiça.

Mas das atitudes da minha velhice precoce, a pior é não acreditar em profissionais da área médica com menos de 30 anos. 5 anos de profissão, em média. Preconceito.

Comecei na fisioterapia e a dotôra, com menos de 30 anos e um relógio doirado cheio de brilhantes cravejados, não me explicou em detalhes o que diabos eu tava fazendo e terminei ficando constrangida em ficar enchendo ela de perguntas. Eu sou assim... gosto de saber pra que as coisas servem e o que eu tô fazendo.
No dia seguinte eu perguntei e ela me explicou de forma muito superficial. Ou subestimando minha inteligência, ou com preguiça de responder, ou apenas insatisfeita com o trabalho sem graça, pensei cá com meus botões. Enfim, achei que tinha sido pouco e que era porque ela não sabia o que tava falando, afinal de contas, tem menos de 30 anos, relógio de perua extravagante e eu, bióloga, passei 5 anos numa faculdade de fisioterapia, né?
Googlando ao chegar em casa... não é que a moçoila estava certa?! A explicação era de fato muito simples e os exercícios vão servir pra resolver meu problema.

Desculpa a vergonha que passei, mas o preconceito continua.

7 de junho de 2009

Diálogo

- É crédito ou débito?
- Crédito
- Não tem débito?
- ...
- É que a gente aceita débito ou dinheiro... Crédito só se não tiver nenhum dos dois...
- Então não... não tenho...
- Digite a senha, por favor...

Sobre Plantas

Eu e L. não sabemos cuidar de plantas. Estou muito triste por chegar a essa conclusão. Todas nossas plantinhas morrem. Rapidamente. Fazemos de um tudo por elas, mas não tem jeito. Colocamos no sol, colocamos na sombra, colocamos pouca água, outras vezes um pouco mais de água... até um produto para dar uma revitalizada nas bichinhas já compramos, e as coitadas morrem.
Um dia compramos uma renda-portuguesa. Era toda grande, bem cheia... e hoje a coitada se resume a uns pedaços de pau e um mísero galhinho com folhas.
Tristeza.

Enquanto isso...

... nos bastidores, depois que as luzes se apagam...


Subscribe Free  Add to my Page

Alexandre Pires

Alexandre Pires abriu mão de sua latinidade ululante e veio tirar uma semana de férias no Brasil. Desse modo:

1. Me sinto de volta aos anos 90 (favor, socorrer).
2. Impossível assistir televisão (overdose da porra).

(oi. tô bonita?)

6 de junho de 2009

B.A

Pra quem só vê Bruno Aleixo quando postamos, deixo aqui o link para o mencionado episódio dessa semana, com uma aparição muitíssimo especial que fez B.A ganhar meu coração para todo o sempre agora.

Beijas!

5 de junho de 2009

Podcast Vogon S01e04

Participação de Vinix e Rafael.
Sucessos da PSIA.


Subscribe Free  Add to my Page

Podcast

Cadê?

4 de junho de 2009

ALÔ COMUNIDADE, AGORA É SÉRIO!

Dia 27 embarco para a Ásia. Primeiro Indonésia e depois Filipinas. Devo admitir que dá um medinho. Sabe né, outro lado do mundo, lost in translation... mas uma coisa é certa, teremos bandeirinhas diferentes visitando nosso blog.
A Tailândia fica pra agosto.

Namastê!

3 de junho de 2009

Xiao Ni Azevedo

Estou em São Paulo participando de uma feira internacional de produtos médicos e hospitalares. E assim como em qualquer outra área, os chineses estão sempre presentes. Tenho conversado com vários. O mais legal de tudo é que, para ficarem um pouco mais "enturmados", eles usam nomes ocidentais. Já conversei com Cristina Wuang, Jenny Jia, Jeffrey Huang... os primeiros nomes são sempre de livre escolha, não precisa ter qualquer relação com o nome original. Legal isso, não?
Acho que vou querer um nome oriental. Estou pensando em Xiao Ni Azevedo. Que tal? E vocês? Qual nome querem ter?

2 de junho de 2009

E o voo, hein?

LR: ai menina... acho q esse avião encontrou algum portal para a 3a dimensão hahahahahahahaha! os passageiros foram cuidadosamente escolhidos para iniciar uma nova civilização!
B: HEHEHE! Ontem, quando comecei a ouvir as primeiras notícias e disseram que o avião havia desaparecido, no que eu pensei?
1 - LOST
2 - TRIÂNGULO DAS BERMUDAS!
3 - ALIENÍGENAS
4 - ATAQUE TERRORISTA
Influenciada ou não por Hollywood? haahahahahahahahahah!
LR: eu fui marromeno nessa ordem! mas os alienígenas vieram em 1° lugar. Tu sabes, né? Culpa das minhas leituras! HAHAHAHAHAHA
B: Os alienígenas abriram um portal?
LR: SIM! hahahahahahaahahahahaha
B: Ai, menina, nem sabia que alienígenas abriam portais?
LR: estava tudo planejado e já descrito nas antigas profecias! HAHAHAHAHAHAHAHAH na verdade o portal sempre esteve lá, mas dessa vez a profecia se cumpriu e o avião achou o local exato!

E isso é tudo o que eu tenho a dizer sobre isso

Air Drummer

Jemt, meu roomie deve ser surdo. Só pode.
Ele escuta músicas no seu iPod num volume inacreditável. Eu consigo acompanhar as músicas. Num é nem o barulhinho não, eu consigo acompanhar as músicas perfeitamente. Até mesmo quando estou dentro do banheiro, portas fechadas, consigo escutar o barulhinho da música. Outro detalhe: ele empolga com as músicas, começa a cantar e fazer batucadinha na mesa.

1 de junho de 2009

Correria

Jemt,

to numa correria só. Nem to tendo tempo de ler aqui, quanto mais escrever. Prometo voltar "asap"!

Mas deixo pra voces um videozinho do meu sonho de consumo atual.

beijas!

São Paulo, 14 graus.

Frio. Muito frio. E uma semana de trabalho dura, até pelo menos 21:30 diariamente.

RÁ!

Evitando a fadiga

Preguiça é uma bosta, né?

As coisas mais necessárias do mundo viram as menos urgentes por diiiias e quando o fim chega, FUDEU!!

E vai ser sempre assim. Para todo o sempre, amém.

Tenho me esforçado e venho conseguindo manter um ritmo bom de estudos e trabalho em bancada, mas quando junta os dois não dou conto. Não dou conto porque a preguiça não permite um esforço extra. Se fosse cansaço, tudo bem, mas quando lembro de outros com ritmo mais pesado que o meu vejo que é só preciso um pouco a mais do que venho fazendo. Esforço extra.

E assim levo a vida... enquanto houver comida de rabo a ser levada, há esperança.